Rinite Alérgica

0
84

Saiba tudo sobre Rinite Alérgica, os fatores que desencadeiam e as formas de evitá-los

Pelos de animais é o mais conhecidoA Rinite Alérgica se trata de uma reação do corpo humano à elementos inalados que são vistos como estranhos. Essas partículas estranhas recebem o nome de alérgenos.

Desta maneira, o nariz se transforma em uma espécie de porta de entrada para essas substâncias, mas ainda possui a tarefa de filtrar os agentes nocivos, além de esquentar e umidificar o oxigênio que atingirá os pulmões.

Geralmente, a pessoa que sofre com alergias possui uma reação excessiva a esses agentes externos. O sistema imunológico responde com intensidade aos elementos estranhos como forma de se proteger.

Vale destacar que há influência do fator genético no surgimento das alergias. Quando pais ou parentes de primeiro grau desenvolvem o quadro de rinite, a possibilidade dos filhos também apresentarem o problema é de 50%. Normalmente, a primeira manifestação da doença ocorre ainda na infância.

Fatores de risco da rinite alérgica

Quem lida com outras enfermidades alérgicas, como a dermatite, a conjuntivite alérgica (leia também o nosso post sobre Conjuntivite Alérgica clicando nesse link) e a asma contam com maior probabilidade de desenvolver a rinite alérgica.

No entanto, ainda existem outros fatores de risco, tais como: a poluição do ar, ter parentes próximos com histórico de alergias e passar muito tempo em lugares com pouca iluminação natural e ventilação.

Conheça os sintomas

Os sinais mais comuns de quem sofre com a doença são: a coceira na boca e no nariz, acessos de tosse, entupimento do nariz, dificuldade para respirar, exaustão, dores de cabeça, irritação, olhos inchados e lacrimejantes, coriza, espirros e olheiras.

A maioria dos pacientes apresenta esses sintomas depois de ter contato com o alérgeno, ou seja, algum agente nocivo. Geralmente, a conseqüência deste contato ocorre entre quatro e seis horas depois, desencadeando uma nova crise para 50% das pessoas afetadas.

Causas da doença

O pólen também é um fator desencadeanteA poeira, o pólen e alguns tipos de alimentos são agentes que podem desencadear alergias. No Brasil, a poeira das casas é o elemento de maior perigo para o bem estar das pessoas.

Isso acontece porque a poeira é composta por resquícios de pele de animais e pessoas, insetos, fungos, ácaros, bactérias, organismos microscópicos oriundos dos aracnídeos, além de pelos de gatos e cachorros.

De acordo com informações do site oficial do médico, o doutor Dráuzio Varella, há diversos tipos de ácaros, sendo que o que é o mais associado à alergia se trata do Dermatophagoides SSP(Clique aqui para lê o post de Dr Dráuzio) ou seja, o agente que se alimenta da pele.

Até mesmo nos colchões, travesseiros e peças estofadas das residenciais é possível encontrar restos de descamação de pele. Por causa disto, esses lugares contam com grande número de elementos nocivos que residem nas camadas dos tecidos, uma vez que os ácaros não têm a capacidade de sobreviver em uma superfície lisa, como as paredes.

Cuidados variam de acordo com a região do Brasil

Nas regiões do país onde não existe uma definição precisa das estações, sobretudo em São Paulo, o tipo de rinite alérgica mais freqüente se trata da provocada por ácaros.

Normalmente, as pessoas que tem a doença sofrem com os seus sintomas o ano inteiro. Enquanto que nos três estados do Sul do país, o período que exige mais atenção é durante a primavera.

É preciso tomar muito cuidado no decorrer desta estação do ano, uma vez que acontece a polinização das flores e é normal aparecer uma variação da rinite alérgica chamada de “Febre do Feno”.

A Febre do Feno é muito comum nos países do Hemisfério Norte, só que os pacientes não desenvolvem febre e a sua causa tampouco é motivada pelo feno. Na realidade, os responsáveis pelas crises são os fungos que se encontram nos montes de feno e que dão origem aos sintomas.

Tratamento para a rinite alérgica

O ácaro é implacável para a Rinite AlérgicaBasicamente, o tratamento para as pessoas que precisam lidar com a rinite se apóia em três vertentes: as vacinas antialérgicas, a limpeza apropriada dos locais de convívio e também a utilização de determinados remédios para evitar ou também tentar suavizar os sintomas das crises alérgicas. Clique aqui para conferir esta excelente publicação do Ministério da Saúde sobre esse tema.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here